top of page
  • Foto do escritorJuliana Martins

Você não se conhece!


- Eu nunca imaginei que um dia eu pudesse fazer isso!

Quem nunca ouviu de alguém, ou até mesmo já disse essa frase?

Quando compramos um produto, seja um celular ou um computador, lemos atentamente seu manual de instrução a fim de entender seu funcionamento e todas as suas características, para fazermos o correto uso dele e sabermos como agir caso algum problema apareça.

Também conhecemos profundamente nossos animais de estimação e contamos orgulhosos cada característica que eles têm, descrevendo exatamente suas emoções e comportamentos.

Esse mesmo investimento não é feito quando o assunto somos nós mesmos!

Passamos a vida sendo movidos por impulsos e emoções que desconhecemos, agindo de maneira reativa quanto aos acontecimentos. Não investimos tempo no autoconhecimento e no desenvolvimento de nossa inteligência emocional e isso traz diversos impactos negativos em nossas vidas.

Ao não conhecermos e identificarmos corretamente nossas emoções e como manejá-las, viramos reféns do comportamento dos outros, sendo movidos pelo impacto que as ações alheias tem sobre nós.

A falta de autoconhecimento também impacta nossos planos e objetivos, já que não sabemos como agir perante aos desafios que possam surgir (e eles vão surgir) no meio do caminho, levando nossas metas para um caminho diferente daquele que tínhamos planejado seguir.

Investir tempo em autoconhecimento te dará ferramentas preciosas para saber lidar com os percalços da vida sem "quebrar" emocionalmente ou perder o entusiasmo.

A rotina que a maioria das pessoas constroem para si, associada a velocidade que as coisas acontecem e a chuva de informação trazidas pelas redes sociais, as tem definido com um perfil muito semelhante, e o que vemos hoje são pessoas:

Que não suportam o tédio / ócio (não suportam a própria companhia)

Que não suportam esperar por recompensas futuras (tudo tem que ser para já)

Que não suportam ser contrariadas (adultos mimados)

Que não suportam o desconforto, mesmo que momentâneo (pessoas altamente sensíveis e reclamonas)

Estude-se, se conheça, e invista genuinamente tempo e esforço em descobrir mais sobre você, sua personalidade, temperamento e emoções:

O que te faz feliz?

O que te faz infeliz?

O que te faz sentir mal-humorado / bravo / irritado?

Por que determinada pessoa te tira do sério? O que ela faz ou fala que te traz essa sensação?

Por que seu trabalho te faz feliz ou triste? O que acontece lá que te traz essas sensações?

Quais foram as atitudes que teve em sua vida que mais benefícios lhe trouxeram? Por que?

Quais foram as atitudes que teve em sua vida que mais frustrações lhe trouxeram? Por que? O que você aprendeu? O que você tem feito para não as repetir?

Essas são apenas algumas perguntas que nunca investimos tempo suficiente para fazer a nós mesmos, e cujas respostas, podem nos mostrar o caminho necessário a seguir para mudarmos o cenário em que estamos.

Conhecer suas fortalezas, suas fraquezas, seus altos e baixos, saber monitorá-los e tomar ações proativas na condução de situações adversas, é o primeiro aprendizado que você deve incorporar antes de pensar em assumir qualquer desafio ou projeto, afinal de contas, você é a ferramenta mais importante na construção da vida que sonha alcançar. Como diz a famosa frase de Sócrates: "Conhece-te a ti mesmo".

Comments


bottom of page